Inicial

Uma Nova Alternnativa
Image courtesy of Stuart Miles at FreeDigitalPhotos.net

Já não faz sentido nenhum em nossa época atitudes preconceituosas em relação ao que quer que seja: credo, cor, raça, ideologias, condição/orientação sexual, etc. 
É impossível conceber que em pleno século XXI ainda existam pessoas cujo ódio e revolta levam a tomada de atitudes extremas, desde propor medias legislativas de cura gay até os casos mais absurdos e incompreensíveis como agressão e assassinato. Aqui podemos levantar uma questão central e crucial para começarmos a entender o porquê do ódio, revolta e incompreensão por parte de algumas pessoas
O ser humano  precisa constantemente estar em zonas de conforto, pois estas zonas garantem estabilidade, perenidade e continuidade do que se tem como comum, rotineiro e normal. Ora quem pode dizer que não se sente confortável com rotinas estabelecidas? E mais, quem não se sente em desconforto quando algumas delas são bruscamente mudadas ou interrompidas por qualquer motivo que seja?
Tudo isso para dizer que a quebra do que é comum, constante e "igual" causa desconforto, incômodo, revolta e medo. Uma colega certa vez comentou sobre uma aula em que a professora discutia sobre preconceito e questionou aos alunos o motivo de tal atitude, então um dos estudantes respondeu que o preconceito é o medo do diferente, daquilo que quebra uma constância. Querendo ou não, vivemos em uma sociedade heteronormativa na qual ser hétero é "comum", é normal e saudável e isso se torna uma verdade universal e natural. Quando alguém surge pra dizer o contrário, todo o constructo na mentalidade das pessoas é colocado em xeque e o conforto da verdade universal é posto a prova em prol de não uma, mas de algumas verdades. Como aceitar o diferente? Como lidar com aquilo que foge do comum?
Alguns se mostram abertos ao debate, outros não, por considerar suas verdades inquestionáveis, pois o que é diferente é errado, logo todo errado é diferente não cabendo qualquer discussão ou acerto. Conversando com algumas pessoas, lendo matérias e artigos é fácil nos perguntarmos se ainda vivemos os tempos obscuros da Idade Média, tamanho o número de absurdos que ainda somos obrigados a ouvir e a ler.
O diferente hoje se coloca como comum, usando uma máxima bastante popularizada, "ser diferente é normal", e não faz sentido condenar, julgar ou apontar tais pessoas, por esses motivos. A discussão para o avanço é uma porta que sempre deve estar aberta, pois o diálogo, em geral, sempre leva ao acordo e a ignorância só gera revolta, intolerância e mais problemas. Diálogo é o caminho, não existe mais espaço para verdades universais, imutáveis e inquestionáveis, precisamos mais do que nunca abrir caminhos e alternativas. Não deve existir espaço para ideias e pessoas retrógradas em nosso mundo.
Alternnativa é uma tentativa de trazer uma forma de debater, problematizar e questionar as coisas como elas são, duvidar e criticar aquilo que nos é entregue, analisar nossa realidade e as condições que permeiam nossa vida. Precisamos lutar contra todo o tipo de preconceito, esperamos poder construir uma luta nesse sentido aqui.